CCC14-15 (2º Semestre): Leitura de uma selecção de Cantos

Deixem aqui o testemunho da leitura que estão a realizar:

1) Preferem a Ilíada ou a Odisseia?

2) Versos que mais gostaram (indiquem o poema, canto e verso; por exemplo, Ilíada I.235-243);

 

10 comments

  1. Bom dia. Ainda só estou a ler a Ilíada, com alguma dificuldade em situar-me no tempo, mas depois de alguma pesquisa conclui que o poema começa (no fim) no 9o ano da guerra.

  2. A Odisseia foi a obra que deu-me mais prazer de ler. O episódio no qual Ulisses conta a sua história ao rei Alicínoo , relatando todas as suas peripécias. Principalmente o episódio que Ulisses embarca na ilha Ciclope, enganando Polifermo ao dizer chamar-se Ninguém. Versos IX e X
    Na Ilíada, a despedida de Heitor e Andrómaca. Também o discurso de Heitor ao filho.

  3. Boa noite, ainda estou a ler a Ilíada mas até agora gostei especialmente de uma passagem no capítulo VI, no verso 146-149, em que o filho de Hipóloco compara a vida humana com a linhagem das folhas. Ainda neste capítulo gostei da despedida de Heitor e da sinceridade de Andrómaca ao admitir que prefere morrer do que ficar sem o marido.
    No canto IX, o que mais me impressionou foi o facto de Agamémnon estar a chorar e querer desistir, voltando para a terra pátria assim como a coragem de Diomedes em admitir que não irá renunciar e lutará até atingir o objectivo, Ílion. Gostei da persistência de Aquiles em não ceder perante todas as ofertas que Agamémnon lhe ofereceu. Não gostei da maldição que o pai de Fénix invocou aos deuses, pois este apenas, a meu ver, tentou honrar a imagem da sua mãe, que lhe tinha suplicado para se deitar com a amante do pai fazendo com que este a passasse a odiar. Apesar deste acontecimento, gosto da relação que Fénix conseguiu construir com Aquiles, considerando-o seu filho.

  4. Boa noite.

    Estou a acabar de ler a Ilíada (na íntegra). Estou a gostar bastante. Saliento para já:
    O discurso de Pátrocolo tentando demover Aquiles da sua recusa em participar na guerra contra os Troianos.XVI.21-45.
    Apelo à misericórdia de Aquiles por Licaón, filho de Príamo, antes deste tirar-lhe a vida.XXI.74-96.
    Comoveu-me o apelo de Príamo a Heitor tentando demover este a enfrentar Aquiles.XXII.38-76
    Heitor frente a frente com Aquiles diz-lhe que respeitará o Corpo de Aquiles caso seja ele próprio o vencedor e espera o mesmo por parte de Aquiles.XXII.250-259.
    A resposta cruel, uma vez mais de Aquiles a Heitor perante ao pedido justo deste.XXII.261-272.
    A dor de Príamo ao ver o seu filho Heitor morto e arrastado pelo chão por Aquiles, que o faz ir até junto das naus do Aqueus reclamar o seu corpo é de um dramatismo profundo. Aqui já não é o “Rei Príamo, é o “pai” que chora o filho amado.XXII.416-428.

    Depois de terminar a Ilíada, seguirei na leitura da Odisseia e dela darei conta mais tarde.

    Cumprimentos
    Ilídio

  5. Ainda no começo da leitura da Odisseia, percebo agora que a Ilíada é, por assim dizer, o “mote” grandioso deste fabuloso poema épico. É quase como se estivéssemos a compor um “puzzle”. Começamos finalmente a saber o que aconteceu aos heróis de Tróia e o que aconteceu dentro das suas muralhas nos seus momentos finais.
    Cometerei um erro ao dizer que ambos os poemas completam-se? Não consigo dizer qual das dois gosto mais neste momento…
    Menelau dá conta a Telémaco no discurso de boas vindas (ainda sem saber quem este é) que Ulisses o sofredor, está em parte incerta, não sabendo os Aqueus se é vivo ou morto. IV.78-112.
    Ulisses esteve dentro do Cavalo de Tróia quando este trouxe a desgraça final aos troianos. IV.266-288.
    Ajax morreu afogado por castigo de Posídon quando regressava a casa.IV.505-511.
    Agamémnon, de pois de ser salvo por Hera é “conduzido” a casa onde o espera uma morte traiçoeira perpetrada por Egisto que entretanto havia seduzido a sua mulher Clitmnestra. IV.524-537.
    E aqui vamos.

    Cumprimentos,
    Ilídio

  6. Bom dia.

    Ulisses fica a saber que a mãe morrera entretanto, porque a encontra na terra do Hades quando este aqui vai falar com Tirésias para saber do destino que o espera.
    “Mas foi a saudade de ti e dos teus conselhos, glorioso Ulisses; a saudade da tua brandura de coração: foi a saudade de ti que me tirou a vida doce como mel” – XI.202-204
    Afinal é possível morrer de saudade…

    E aqui vamos.

    Cumprimentos,
    Ilídio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s