O estado da nossa educação: um caso concreto

Partilho uma notícia que me chegou hoje e que merece uma breve reflexão. Muitas escolas estão a divulgar horários ainda por preencher, aguardando pela candidatura de professores. Um desses horários, numa escola do continente, destina-se a um professor de Português. Até aqui tudo parece normal. O estranho é quando verificamos os critérios usados para seriar os candidatos. Pasmem-se: conhecimentos em TIC, conhecimentos no uso do powerpoint; experiência na dinamização de jornais escolares (!!). Sem querer desvalorizar qualquer uma destas competências, certamente importantes, mas serão estes os critérios fundamentais para assegurar o melhor professor de Português? Ignoram-se por completo: a média de licenciatura; o investimento na formação (mestrado, pós-graduação ou doutoramento); a experiência profissional; a produção de trabalhos de investigação ou a colaboração com Centros de Investigação, entre outros possíveis critérios.  Não sei o que vos parece, mas para mim esse lugar de professor de Português já tem um destinatário bem definido.

One comment

  1. Infelizmente não é só neste aspecto que a nossa educação peca…Desde o ensino regular ao ensino especial, a cada novo ano lectivo surgem mais complicações e entraves.
    Só nos resta ir lutando, quer como pais, alunos ou professores contra lobbys e cunhas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s