Eurídice, a eterna paixão

Orfeu era um jovem violinista, muito talentoso e muito bonito, que suscitava a atenção de todos, em especial das mulheres, e a quem a vida parecia correr muito bem. Orfeu era considerado por muitos o melhor violinista da sua geração e talvez da sua época. E devido a isto, conseguiu entrar para a Orquestra Sinfónica Internacional, o que era o seu grande sonho desde criança.
Sim, tudo parecia correr bem na vida do jovem Orfeu. Este tinha um belo apartamento, um carro topo de gama, o emprego com que sempre sonhara e em breve iria conhecer o amor da sua vida, Eurídice.
Eurídice era uma jovem polícia que havia salvo a vida a Orfeu, quando este estava a ser assaltado na rua por um grupo de criminosos que ao verem o seu violino (Stradivarius) o queriam roubar. Eurídice dispara tiros para o ar e os ladrões fogem, sem magoar Orfeu. A paixão foi imediata, pois mal se viram souberam que haviam sido feitos um para o outro. Mas um problema afectava qualquer relação que pudesse haver entre ambos, que era o facto de Eurídice ainda namorar com Aristeu.
Eurídice acaba por se render à paixão que sente por Orfeu e termina o namoro com Aristeu. Esta fica ainda mais furiosa com Aristeu quando sabe que ele fazia parte do gang que havia atacado Orfeu. Aristeu foge de Eurídice, uma vez que esta o queria prender jurando vingar-se de Orfeu.
Após alguns meses de namoro, Orfeu resolveu pedir Eurídice em casamento e para isso preparou um jantar romântico em sua casa. Eurídice ficou surpresa com o jantar que Orfeu lhe havia preparado. Depois do jantar, Orfeu ajoelhou-se perante Eurídice e pediu-a em casamento. Eurídice ficou estupefacta e não sabia o que lhe dizer. Acabando por dizer a Orfeu que era melhor eles não se casarem devido às ameaças de Aristeu contra eles. Orfeu disse-lhe que não tinha medo de Aristeu e tudo o que queria era ter Eurídice como sua esposa para toda a vida. Depois de dizer aquelas palavras à sua amada, Orfeu procurou o seu violino e tocou a canção que havia composto especialmente para ela. Esta ficou tão comovida com a canção que resolveu aceitar o seu pedido de casamento. Sendo decidido por ambos que o casamento seria dali a duas semanas.
Chegado o tão esperado dia do casamento e enquanto Eurídice se preparava para ir para a igreja, Aristeu arrombou a porta da sua casa e apanhou Eurídice de surpresa. Esta não teve tempo de ripostar pois foi drogada com clorofórmio e levada para o esconderijo do gang de Aristeu.
Entretanto, Orfeu que esperava pela sua amada no altar, começou a ficar angustiado com a demora desta e resolveu telefonar-lhe. Ao ver que esta não atendia o telefone e o telemóvel, Orfeu resolveu ir ao seu apartamento para ver se estava tudo bem com Eurídice. Orfeu ao chegar a casa desta, ficou desesperado, já que a porta estava arrombada, começando a gritar desesperadamente por Eurídice. Depois de ter procurado por Eurícide e não a ter achado, Orfeu sentou-se na cama desta e começou a chorar compulsivamente. Foi então que encontrou o bilhete anteriormente deixado por Aristeu, em que este lhe dizia que tinha Eurídice em sua posse e se Orfeu a queria de volta teria de ir ter com ele ao esconderijo do seu gang sem a polícia e com o violino.
Orfeu apressou-se a ir ter com Aristeu ao lugar combinado. E ao entrar passou pelos companheiros de Aristeu sem que nenhum deles o magoasse. Já nas profundezas de uma antiga estação de comboios subterrânea abandonada, encontrou Eurídice desmaiada no chão com a cabeça coberta, rodeada pelos restantes subordinados de Aristeu. Aristeu então apareceu para Orfeu e disse-lhe que se ele queria Eurídice teria de lutar com ele por ela e lhe dar o seu violino, visto que ele tinha planos para ele. Orfeu e Aristeu começaram a lutar. Mas não demorou muito até que Orfeu fosse subjugado por Aristeu, já que este era mais fraco fisicamente que Aristeu. No momento em que Aristeu se preparava para dar o golpe final em Orfeu, Eurídice acordou e destapando a sua cabeça, começa a lutar contra os companheiros de Aristeu. Conseguindo tirar a arma a um deles, alvejou logo de seguida Aristeu perto do coração e este ficou estupefacto com a atitude de Eurídice. Enquanto isso, Eurídice grita para Orfeu fugir. Orfeu levantou-se, agarrou no seu violino e em Eurídice e começou a correr em direcção à saída. Entretanto, Aristeu que jazia no chão sangrando abundantemente, ordenou aos seus subordinados que perseguissem os dois. Ordenando também que matassem Orfeu e trouxessem Eurídice e o violino de volta para ele. Estes obedecem a Aristeu e foram atrás deles. Quando Orfeu se encontrava na saída reparou que Eurídice largou a sua mão e ficou para trás. Ao virar-se para trás, vê a sua amada ser atingida pela bala de um dos comparsas de Aristeu que pretendia acertar em Orfeu. Enquanto isto, Aristeu jazia morto numa poça de sangue devido ao tiro dado por Eurídice. Eurídice caiu morta no chão e Orfeu ficou em estado de choque, mas antes que os companheiros de Aristeu pudessem acabar o serviço a polícia chegou ao local e abriu fogo sobre eles até que eles se renderam e foram presos.
Havendo passado quase um ano sobre a morte de Eurídice, não havia maneira de Orfeu se conformar com a morte da sua amada. Isolando-se assim de tudo e de todos. Orfeu acabou inclusive por perder o seu emprego e todos os seus amigos.
Um dia, quando Orfeu se encontrava em casa, junto da foto da sua amada a tocar a canção que havia composto para ela, tocaram à porta. Orfeu foi abrir e viu que era a sua vizinha do andar de cima, Ménade. Ménade era apaixonada por Orfeu desde o dia em que ele se mudou para o seu prédio. Mas desde que Eurídice havia morrido, que esta se vinha a insinuar a Orfeu, embora este respondesse com indiferença. Ménade, que já desde algum tempo se vinha a irritar com Orfeu e a sua atitude perante ela e os seus sentimentos, decide declarar-se uma última vez a este. Orfeu ficou irritado e insultou-a acusando-a de ser uma vadia e oferecida. Orfeu tentou expulsar Ménade do seu apartamento, mas esta tirou uma pistola da sua carteira e deu-lhe um tiro certeiro no coração, dizendo que se Orfeu não era dela também não iria ser de mais ninguém. Orfeu antes de morrer sorriu para Ménade e disse que finalmente se iria juntar à sua amada. Ao ouvir as palavras de Orfeu, Ménade suicida-se com um tiro na cabeça. Fez isto com o intuito de se juntar a Orfeu na morte e assim ser a sua amada e não Eurídice.
Mas será que ela conseguiu o seu objectivo?
Bem, isso fica na imaginação de cada um de vós.

Marlene Freitas Gomes
Curso: Comunicação, Cultura e Organizações.

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s